Untitled Document
  • Arquivo de 'Destaques'



    postado por: Isabela Soares | 12 fev 2017

    A Marvel divulgou as primeiras imagens oficiais de Vingadores: Guerra Infinita. Trata-se de um vídeo de bastidores das primeiras semanas de filmagens, que mostra o reencontro de alguns times, confirma alguns rumores e deixa as expectativas altas.

    É verdade: a Guerra Infinita terá o Homem-Aranha e todo o time dos Guardiões.

    “Vingadores: Guerra Infinita é onde culmina todo o Universo Cinematográfico Marvel, desde onde começou em maio de 2008 com o lançamento de Homem de Ferro. E é um resultado sem precedentes como uma série de filmes que se unem de uma forma que jamais foi feita antes”, comenta orgulhoso o produtor Kevin Feige.

    Vingadores: Guerra Infinita vai reunir os maiores heróis da Galáxia em uma luta contra o poderoso Thanos, para impedí-lo de reunir as seis Joias do Infinito e destruir o universo. Sua data de lançamento está previsto para 26 de abril de 2018.

    postado por: redacao | 09 fev 2017

    Succession será produzida por Adam McKay e Will Ferrell, pela Gary Sanchez Productions, em uma das raras vezes que a produtora se volta para um projeto que não seja comédia. Jesse Armstrong (Fresh Meat, Peep Show, Babylon) será o roteirista e showrunner, e entre os produtores executivos estão, além de Armstrong, McKay e Ferrell, Kevin Messick, Frank Rich e Ilene S. Landress.

    O presidente de programação do canal HBO, Casey Bloys, havia encomendado o piloto em junho do ano passado, e agora o projeto oficialmente será continuado.

    A série promete girar em torno da família Roy e seu “império midiático”, bem como a dinâmica disfuncional entre os familiares.

    Brian Cox será o patriarca Logan Roy, e Jeremy Strong, Kieran Culkin, Sarah Snook, Alan Ruck serão os próximos na linhagem de sucessão; Nicholas Braun, Matthew Macfadyen e Hiam Abbas completam a família, e Rob Yang, Parker Sawyers e Peter Friedman fecham o elenco intepretando funcionários dos Roy no mundo dos negócios.

    postado por: redacao | 09 fev 2017

    Aos leitores de Cinquenta Tons Mais Escuros, sequência do estrondoso sucesso de 2015 Cinquenta Tons de Cinza, vocês sabem o que vão encontrar cenas bem fiéis ao livro. Confesso que o filme conseguiu me surpreender. A primeira cena, um flashback da infância de Christian Grey, nos remete imediatamente ao livro, os fantasmas do passado do Grey em um sonho. A partir deste momento, todos estamos com pena e solidários a criança agora adulta com sua vida cheia de tons escuros. A complexidade que Christian Grey carrega consigo é muito mais profunda nesse segundo filme. Uma infância traumática que o fez se transformar em um homem incapaz de manter alguém que ama por perto.
    Quando os dois finalmente se encontram e o bilionário pede a ela que volte, Ana impõe seu contrato: sem regras. A jovem não quer mais ser submissa ao namorado sado. O casal tenta unir-se novamente, após a separação ao fim do longa anterior. Para provar, na primeira cena sensual é ela quem mantém o parceiro de joelhos. Embora Anastasia demonstre prazer na relação de dominação/submissão, ela revela também desconforto no fato de Christian sentir-se atraído pela dor alheia. E enquanto os atores parecem mais à vontade nos papéis, o filme, assim como o livro, se mostra indeciso sobre como abordar a questão do fetiche. Ambos os produtos tratam a relação sadomasoquista com relativa normalidade: há ênfase no consentimento dentro dos jogos eróticos e pouco exotismo ou estereótipos. o sadomasoquismo é representado pelo uso de acessórios nada ousados e uma massagem erótica bem distante do chicotinho visto no primeiro longa. A dor agora não é mais física, é emocional. Cinquenta Tons mais Escuros, se beneficia em relação ao primeiro filme, devido a trama mais romântica e mais leve, as cenas de sexo, que acabam sendo a “grande atração” da franquia, são mais prazerosas, para o espectador é visível que Ana sente imenso prazer com os jogos e nenhuma dor mais. Ana consegue ser ouvinte dos traumas vividos por Grey, ele vai deixando seus segredos mais escuros virem a tona. E Ana consegue finalmente tocá-lo em seu peito, não mais sendo impedida, agora é o próprio Grey que pega a sua mão e encosta em seu peito, mostrando assim que ele é dela. Ana não se impõe tanto as ordens de Grey, ela está mais preocupada em manter sua relação com ele, é claro que ela quer entrar em seus jogos, e as cenas são bem conduzidas, afinal quem ali na poltrona não queria estar no lugar da Ana?
    As visões de empreendedorismo do bilionário, são deixadas um pouco de lado, ele sai para velejar com Ana, mais tarde consegue pensar em ter uma vida a dois, aproveitando cada momento ao lado de Ana. Sobre os personagens novos, começaremos falando das duas personagens introduzidas neste filme têm um potencial de mistério, mas são facilmente descartadas. A primeira delas é Leila (Bella Heathcote), ex-submissa de Grey, que transtornada com a morte do marido, quer o lugar de Anastasia. Leila mostra a Ana o lado dominador de Grey, mesmo ele e leila terem terminado seu relacionamento, ela é uma submissa obediente. Kim Basinger, como Elena Lincoln (também conhecida como Mrs. Robinson), amiga de Grace que iniciou Grey no arte do sadomasoquismo, a atriz protagoniza aqui uma cena sem sal, com direito a drinque no rosto e bofetada. O destaque entre os novos personagens, é o chefe abusivo de Anastasia (vivido por Eric Johnson), sim ele é sexy, canalha e charmoso. Este poderia ter sido bem mais aproveitado, usando a dinâmica de pose que o Grey quer ter sobre Anastasia e causando um triangulo pra lá de apimentado, mas isso não acontece. A cena final é intrigante ao mostrar uma foto, ela nos remete a uma vingança. O casal comemorando e um ser inflamado por ira!

    Cinquenta Tons Mais Escuros foi filmado simultaneamente com sua terceira sequência chamada Cinquenta Tons de Liberdade, dando a possibilidade do filme ter cenas do próximo capítulo, ou seja, há cenas pós créditos.

    postado por: Isabela Soares | 08 fev 2017

    Após o grande fracasso nas bilheterias mundiais, o filme A Série Divergente: Convergente enterrou para sempre as chances da franquia ser terminada nas telonas. Por isso, os executivos da Lionsgate decidiram levar a trama para a televisão, com planos de concluir a adaptação dos livros de Veronica Roth com um telefilme, que deverá servir como um piloto para uma série derivada. Mas, como diz o ditado, não há nada tão ruim que não possa piorar: Shailene Woodley (Tris), a protagonista da franquia, confirmou que não reprisará seu papel em A Série Divergente: Ascendente.

    “Não. Eu não estarei na série”, respondeu a atriz, de maneira concisa e objetiva, ao ser perguntada sobre o seu futuro na saga durante o evento de divulgação de sua nova minissérie, Big Little Lies. Com a curta assertiva, Woodley confirmou a declaração que havia dado no último mês de setembro, quando afirmou que só retornaria se o quarto filme fosse desenvolvido para os cinemas. Além da desistência da atriz, Theo James e Miles Teller também manifestaram desaprovação quanto aos planos de levar a franquia para as telinhas.

    A expectativa é de que o telefilme seja lançado ainda em 2017 – quando A Série Divergente: Ascendente chegaria aos cinemas. No entanto, com a desistência de Woodley e dos outros protagonistas, o futuro da franquia está mais incerto do que nunca. O próximo trabalho da atriz é na minissérie supracitada, da HBO, ao lado de Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Laura Dern.

    postado por: Isabela Soares | 06 fev 2017

    Neste domingo, dia 05, durante os comerciais do Super Bowl a Netflix liberou o teaser de Stranger Things.

    A 2ª temporada da série chegará na Netflix em Outubro de 2017.