Untitled Document
  • Arquivo de 'Resenhas'



    postado por: redacao | 27 set 2015

    Depois de ler o primeiro livro, Entre o Agora e o Nunca, dessa breve série, o coração ficou a mil esperando a continuação da história de Andrew e Camryn. Lançado em abril pela Suma de Letras no Brasil, Entre o Agora e o Sempre traz consigo uma lição de vida.

    Após tantas dificuldades médicas de Andrew, Camryn pode finalmente respirar aliviada: o amor de sua vida está bem. Porém, os problemas não acabam por aqui. Diante de complicações com ela mesma, a garota da Carolina do Norte vê que talvez não seja capaz de aguentar todo o peso de uma gravidez em suas costas.

    Andrew, que ama a noiva mais que tudo, será desafiado novamente pelo destino. Sem outra saída para que o relacionamento volte a ser como era antes, eles caem na estrada, procurando por algo que possa ter sido deixado na outra vez.

    Entre apresentações em bares e hotéis baratos, J.A. Redmerski narra o romance desses dois jovens-adultos. Sem muitas delongas e sendo bem direta, a autora constrói uma história sólida que traz consigo uma lição para qualquer leitor: viver a vida de acordo como quer, sem ser uma marionete da sociedade atual.

    Apesar de ter esperado mais dessa história, como uma trama mais envolvente, eu gostei muito da sequência que a autora deu para um dos meus livros favoritos. Ela soube descrever muito bem todos os sentimentos dos personagens, como anseios, fraquezas e medos.

    Minha parte favorita do livro foi o final, quando a história é contada por Lily, filha de Andrew e Camryn. Tem até uma parte que chamou a minha atenção:

    “Vai ser difícil às vezes, posso ter que fritar hambúrgueres e limpar privadas por algum tempo, vou perder pessoas que amo, e nem todo dia será brilhante como o anterior. Mas contanto que eu nunca deixe as dificuldades me abaterem completamente, um dia vou fazer exatamente o que eu quero. E não importa o que aconteça, ou quem eu perca, não vou ficar triste para sempre.”

    Por fim, Redmerski finaliza a história com Andrew e Camryn viajando pelo mundo, como mochileiros. Depois de ter criado uma filha maravilhosa, nada mais restava para os nossos protagonistas a não ser a estrada.

    Entre o Agora e o Sempre é um livro de rápida leitura e muito fácil de compreender. A linguagem é sem rodeios e a história não tem grandes tramas, como o anterior. Eu recomendo muito para quem quer um desfecho maravilhoso para o enredo do primeiro livro.

    créditos: Danielle Cabraliuuuu

    postado por: redacao | 22 set 2015

    “– Quer apostar? – Quero! – zombou Travis. – Aposto. Um milhão de dólares!”

    A Aposta, de , lançado no Brasil em 2014, começa com um flashback de quando os irmãos Titus eram apenas dois garotos. Ambos apaixonados por Kacey, a melhor amiga deles, fazem uma aposta valendo um milhão de dólares para quem se cassasse com ela primeiro.

    Anos após essa aposta, Jake, o irmão Titus mais novo e por quem Kacey era apaixonada, retorna à vida da moça depois de acontecimentos catastróficos: a morte dos pais delas, a primeira vez deles e a primeira desilusão amorosa. Essa visita tem como intuito convencer Kacey a fingir ser noiva dele por um final de semana, já que Jake quer ser o sucessor de seu pai como CEO da Titus Enterprises e não conseguirá fazer isso sem mostrar à mídia que “sossegou” sexualmente.

    Relutantemente, Kacey aceita a proposta de Jake, acreditando que isso só a traria benefícios, como visitar a vovó Nadine e a quitação de seus empréstimos estudantis. Entretanto, ela não sabe o que essa volta à Seattle a reserva: Travis, também conhecido como Satã, o menino que atormentou sua vida durante a infância e adolescência, também estará na casa da família.

    Ao chegar à Seattle, ela não se depara apenas com a beleza de Travis, mas também com a sua gentileza. Depois de vários momentos ao lado do irmão Titus mais velho, Kacey não sabe mais qual será o rumo que seus sentimentos tomarão.

    Este romance de Rachel Van Dyken – que, por acaso, é o primeiro da autora que leio – gerou uma impressão positiva em mim devido aos acontecimentos serem rápidos, nada de enrolação. Além disso, que facilita muito a leitura, também nos deparamos com cenas muito engraçadas, como as da vovó Nadine.

    A personalidade dos personagens também é bem definida, algo que me chamou atenção, já que, geralmente, os romances contemporâneos são meio confusos em relação à isso. Ademais, o livro tem uma história atraente, que prende o leitor, e que fluí rapidamente.

    Apesar de ter mais críticas positivas do que negativas, uma coisa que me incomodou foi um pouco da desorganização dos fatos, como a citação de algo e explanação deste mesmo algo apenas 20 páginas depois. Entretanto, é algo irrelevante diante todas as coisas boas que a história têm.

    Em síntese, A Aposta foi um dos melhores romances que li este ano. O livro fluí facilmente, prende e também rende algumas risadas.

    O livro faz parte da série “The Bet” e conta com uma continuação, intitulada “The Wager”, que ainda não se sabe se será lançada no Brasil.

    CRÉDITOS: DANIELLE CABRAL

     

    Capa

    postado por: redacao | 21 set 2015

    “4 Julho
    Fogos de artifício! No ar, no chão, vibrando em todas as direções.
    Explodindo numa profusão de cores e sons.
    Nós, deitados na grama suave e olhando para o céu tão acesso.
    Um momento perfeito. Fechei os olhos para guardá-lo.
    Mais tarde, silêncio, paz, só ele e eu.
    Dois corações juntos pela eternidade.”
    (Diário da Zoe, falando sobre o namorado Marc, pág. 110)

    Em busca da superação da dor da perda, o livro conta a história de Eco. Um ano se passou desde a morte de Zoe, Eco, a irmã mais nova ainda não conseguiu superar. Zoe foi brutalmente assassinada e seu corpo foi encontrado próximo à data do aniversário de Eco.
    A adolescente, agora com 15 anos, é obrigada a enfrentar todos os impactos dessa perda sozinha, já que, seus pais parecem anestesiados, seus amigos seguem a vida, e um estranho primeiro ano de escola prova que ela jamais estará à altura da memória da irmã. Tudo muda quando Marc, ex-namorado de Zoe, aparece com seu diário.
    No início, Eco acha tudo uma tremenda besteira. Afinal, o que seria tão importante para ser lido? Não existe nada que ela não saiba.
    Porém, com uma pequena insistência de Mark, a curiosidade toma conta de Eco e então, ela começa a ler o diário.
    Eco fica tão imersa nos relatos pessoais de sua irmã, que começa a confundir a realidade vivida por Zoe, com a dela. Para seguir em frente, Eco é forçada a descobrir a verdade escondida na vida de Zoe. Inúmeras surpresas esperam os que lerem essa linda história sobre a força da ligação entre duas irmãs, mesmo que quando uma delas já se foi. Mas isso muda no dia em que um gatinho da escola se aproxima e a beija, ela se valoriza mais, entretanto, Mark, que era o namorado da irmã quando aconteceu a tragédia, começa a fazer ela se senti atraída por ele. Eco e Mark acabam por contrair uma atração física, onde não é exatamente o coração quem fala mais alto, mas sim o corpo, a parte mais sexual, digamos assim. Claro, os dois ficam super confusos. Mas ele revela que guardou o diário de zoe, e que Eco deveria ler. Através desse diário que a história realmente começa, onde começamos a conhecer quem foi a tal da Zoe, onde e como ela foi, como era, como não era, o que achava da família e o que sentia pela mesma.

    Durante todo o livro, Eco descobre através das páginas do diário de Zoe o que realmente aconteceu naquele trágico dia e, aos poucos, tenta desvencilhar da imagem da irmã para voltar a ser ela mesma. Eco consegue descobri quem foi sua irmã, e confirma quem realmente é o culpado, já que Mark ainda leva alguma suspeita pelo assassinato.

    Emocionei-me muito ao descobrir o que aconteceu com a sua querida irmã Zoe e fiquei muito triste com a perda que a Echo sofreu porque ela não apenas perdeu uma irmã, mas também uma amiga e conselheira. Os personagens são bem construídos e o enredo muito bem desenvolvido e em momento nenhum nos perdemos entre o momento real e o diário de Zoe, um acompanha o outro em um andar cadenciado.
    Uma história sobre a vida real, sem rodeios ou floreios, apesar de ter como base a visão de uma adolescente o livro tem seu peso adulto. Lendo nas entrelinhas sentimos o problema real que se abateu sobre aquela família, uma lição de vida.

    Foi confirmado a adaptação para as telonas de Em Busca de Zoe, agora é aguardar pessoal!

    postado por: redacao | 18 set 2015

    O livro A Herdeira começa vinte anos após o término de A Escolha, e nos deparamos com o Rei Max tendo que lidar com alguns problemas em seu reinado.

    Depois de finalmente conseguir abolir o sistema das castas e os ataques dos rebeldes, a população que a princípio sentiu-se feliz e satisfeita com essa nova situação, não consegue lidar com a falta de limites que a abolição das castas trouxe e permanece tentando criar barreiras e empecilhos para que não haja misturas entre os diferentes níveis sociais de antigamente.
    Com a situação saindo do controle e trazendo novamente diversos tipos de ataques a várias cidades, Max decide tentar distrair o povo até que consiga pensar em uma solução para o problema, e me digam gente, existe uma distração melhor do que uma nova seleção? A Herdeira, porém não narra mais a história de America Singer, agora a protagonista é a filha de America e Maxon: Eadlyn. Eadlyn tem uma personalidade forte e independende, e a hora de ascender está próxima, porém Iléa passa por crises, uma parte da população quer de volta o sistema e castas.

    E a solução para distrair o povo é uma nova seleção, porém Eadlyn detesta a ideia, ela não consegue imaginar a ideia de dividir o trono com um garoto qualquer, não se imagina na posição de esposa. No início da seleção ela evita os participantes, mas ao longo da competição ela vai se aproximando mais dos candidatos e criando um elo com eles. Mas as questões políticas do seu país e as críticas do povo e dos próprios selecionados à princesa atrapalham o andamento da seleção.
    Também ao longo da história há um personagem muito importante no andamento, o Príncipe Ahren, irmão gêmeo de Eadlyn que está prestes a se casar com uma princesa, e que provavelmente se tornará rei. Ele sempre ajuda Eadlyn em suas escolhas e causará grande repercussão na história.
    O livro é narrado em primeira pessoa pela Eadlyn, e fica claro que a Autora quis neste livro nos mostrar a princesa sendo esta garota fria e calculista para ir aos poucos desconstruindo sua personalidade, aliás, no final do livro já notamos várias diferenças em sua forma de tratar os outros e sentimos que o “muro” que Eadlyn construiu à volta vai finalmente cedendo.

    Eadlyn é muito diferente de America, chegando a ser detestável e nojenta em alguns momentos, dando raiva nos leitores. Mas o livro é incrível, dinâmico e quando terminamos, imploramos pelo próximo livro.
    Embora tenha sido meio decepcionante ver Max e América tão mudados, ele desanimado e sem alegria de viver, e ela sem nenhum resquício da personalidade borbulhante e corajosa que aprendemos a amar ao longo dos livros, Kiera continua sabendo construir muito bem seus personagens, mesmo que não concordemos com as mudanças que ocorreram com eles.

    Todos estavam certos de que Eadlyn se renderia à Seleção em questão de tempo, e cairia de amores por algum dos concorrentes, mas mal sabiam eles que a menina estava cheia de planos para tornar a vida dos selecionados um inferno.
    Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

    Além de A herdeira, Kiera Cass lançará mais dois livros da série A Seleção: o 5º romance, também narrado por Eadlyn (previsto para 2016), e Happily ever after (previsto para outubro de 2015), um volume especial que reunirá os quatro contos da série (O príncipe, O guarda, A rainha e The favorite), três cenas do ponto de vista da Celeste, uma cena do ponto de vista da Lucy, o epílogo extra de A escolha, uma seção “O que aconteceu com eles?”, um mapa e diversas ilustrações.

    postado por: redacao | 12 set 2015

    Ever Bloom tinha uma vida perfeita: era uma garota popular, acabara de se tornar líder de torcida do principal time da escola e morava numa casa maravilhosa, com o pai, a mãe, uma irmãzinha e a cadela Buttercup. Nada no mundo parecia capaz de interferir em sua felicidade, o céu era o limite!

    Bem era até que Ever passou por uma perda muito grande, no qual sua família morreu em um acidente de carro no qual Ever foi a única sobrevivente. Mesmo todos dizendo que fora um acidente, Ever culpa a si mesma todos os dias.

    Desde o acidente Ever obteve dons especiais, ela conseguia ler mentes, ver a áurea das pessoas, ver pessoas que não concluíram a travessia após a morte, como sua irmã Riley, e em um simples toque descobrir os segredos mais obscuros da pessoa.
    Mesmo com todos esses poderes Ever é uma menina tímida e reversada. Seus maiores amigos são seu ipod, seus óculos escuros e suas blusas de moletom com capuz. O que Ever não esperava é que um novo garoto transferido para sua escola pudesse mudar sua vida o nome desse garoto é Damen.

    Quando Ever vê Damen pela primeira vez tem a impressão de já ter visto aqueles olhos em algum lugar; o que Ever não sabe é que Damen é um Imortal que salvou sua vida no dia do acidente. É também o imortal que é apaixonado por ela a quatrocentos anos. Apaixonado por cada reencarnação de Ever.

    A história gira em torno de várias revelações sobre quem Ever e Damen realmente são e como um amor pode superar a imortalidade a suas reencarnações.Depois de ser a única sobrevivente num acidente de carro que mata toda sua família, Ever adquiri poderes sobrenaturais. Ela pode ler pensamentos, enxergar auras, sentir energias e ao tocar nas pessoas ter um vislumbre de sua vida. Só que Ever (trocadilho em inglês para expressão que indica eternidade) não tem controle nenhum sobre isso e nem gosta de todos esses poderes. Atormentada pelas vozes em sua cabeça o tempo inteiro, Ever começou a se trancar em seu mundo pessoal, onde procura não tocar em ninguém e apenas seus moletons e seus fones de ouvido a toda a altura lhe dão algum sossego. E como se não bastasse à culpa pela morte de seus pais e da irmã caçula, Ever agora pode ver e falar com mortos, inclusive com a irmã Riley, que invés de seguir a luz e se juntar aos pais, decide permanecer na terra para acompanhar e vigiar todos os passos da irmã.

    Sem resposta para tudo o que vem ocorrendo em sua vida e sem conseguir controlar seus poderes, Ever tenta levar uma vida normal na escola ao lado dos amigos Miles e Haven. Mas a chegada do novo aluno Damen, que além de lindo parece esconder algo, deixará a moça intrigada. Ainda mais ao perceber que o toque do rapaz é capaz de calar todas as vozes em sua cabeça. Mas quem será esse rapaz e porque apenas ele pode dar a Ever a paz para lidar apenas com seus próprios pensamentos?
    É neste contexto que ela conhece o enigmático e lindo de morrer Damen Auguste. Inexplicavelmente, com a proximidade de Damen, ou quando ele se dirige a ela, Ever se desconecta de sua mediunidade e não ouve mais as vozes ao seu redor; a calma e a paz se instauram em sua mente. Mas, ao mesmo tempo, ele a perturba, pois ela sente que há algo muito errado com ele. Desde o primeiro momento ela capta misteriosos sinais que, gradualmente, vão se somando e contribuindo para que ela deseje, estar ao seu lado e longe dele;

    A história gira em torno de várias revelações sobre quem Ever e Damen realmente são e como um amor pode superar a imortalidade a suas reencarnações.

    Para sempre é um livro com uma história clichê sim, mas a leitura é gostosa e te deixa com vontade de quero mais. É um livro que nos fala sobre o amor que supera o tempo e o poder dos pensamentos, trazendo ao leitor uma pequena reflexão. Para quem ama um romance com um toque de suspense, leia imediatamente a série toda!